Para os Relatórios

Localização actual:Fundação MacauPara os RelatóriosPormenores

Cerimónia de Atribuição de Prémios da 5.ª Edição do Prémio de Estudos de Ciências Sociais e Humanas de Macau e 6.ª Conferência Internacional de Macaulogia Discurso

06/09/2019 16:35:42

Cerimónia de Atribuição de Prémios da 5.ª Edição do Prémio de Estudos de Ciências Sociais e Humanas de Macau e 6.ª Conferência Internacional de Macaulogia

Discurso do Presidente do Conselho de Administração da Fundação Macau,
Dr. Wu Zhiliang

5 de Setembro de 2019

 

           Antes de mais, permitam-me, em representação da Fundação Macau, congratular todos os premiados da 5.ª Edição do Prémio de Estudos de Ciências Sociais e Humanas de Macau, dando as boas-vindas a todos os presentes à 6.ª Conferência Internacional de Macaulogia e expressar os mais sinceros agradecimentos à entidade co-organizadora Social Sciences in China Press e aos membros do júri.

        Marcando este ano o 20.º aniversário do retorno de Macau à Pátria e o 70.º aniversário da fundação da República Popular da China, a execução simultânea das duas actividades reveste-se de um significado especial, contribuindo, por um lado, para apresentar os resultados alcançados e, por outro lado, para explorar novas perspectivas no caminho a seguir. Em 2004, a Fundação Macau e a Guangdong Federation of Social Sciences cooperaram, pela primeira vez, na criação do Prémio de Estudos de Ciências Sociais e Humanas de Macau como uma parte integrante do Plano Especial das Celebrações do Quinto Aniversário do Estabelecimento da Região Administrativa Especial de Macau, na perspectiva de avaliar e fazer um balanço, de modo periódico, abrangente e objectivo, dos estudos realizados na área das ciências sociais e humanas de Macau e incentivar a dedicação e empenho de mais académicos e especialistas a estudar e reflectir sobre Macau, reunindo o sector académico para, todos juntos, promover o desenvolvimento e a prosperidade dos estudos em torno dos temas relacionados com Macau e estimular uma melhor qualidade humanista e da imagem cultural desta cidade.

        Com vista a elevar a popularidade dos resultados obtidos com os estudos realizados em torno dos temas relacionados com Macau e captar a atenção do sector académico do exterior para os estudos realizados na área de ciências sociais e humanas de Macau, a Social Sciences in China Press aceitou o convite para assumir a co-organização do Prémio de Estudos de Ciências Sociais e Humanas de Macau. As cinco edições do prémio já realizadas receberam um total de 1,924 trabalhos candidatos dos quais 281 foram premiados. Todos estes excelentes trabalhos são representativos dos estudos realizados na área das ciências sociais e humanas de Macau, mostrando a evolução dos estudos de Macau, ou seja, do nada para algo e até ao topo, reflectindo, em certa medida, o progresso dos estudos sobre Macau e o fruto dos resultados da construção da Macaulogia.

        Nas edições passadas do prémio, testemunhámos claramente o crescimento próspero e notável dos estudos académicos e científicos de Macau. Os estudos realizados na área das ciências sociais e humanas de Macau obtiveram não apenas o reconhecimento do sector académico de Macau mas também de toda a sociedade, tendo algumas editoras mais conhecidas fora de Macau dado cada vez mais importância aos estudos de Macau. Vários trabalhos candidatos e premiados no Prémio de Estudos de Ciências sociais e humanas de Macau já foram publicados em revistas académicas ou por editoras mais conhecidas de Macau e do exterior, o que demonstra que os estudos de Macau já ganharam asas robustas para poderem sair de Macau e, também, que a sua qualidade mereceu o reconhecimento do sector académico a nível nacional e até a nível internacional.

        Reunir académicos de Macau e do exterior e incentivá-los a reflectir no estudo de matérias relacionadas com Macau merece sempre grande atenção da Fundação Macau, pois somente através da realização de estudos sobre Macau é que se alcança o ritmo de desenvolvimento de modo a colocar em lugar de destaque os valores únicos de Macau nas vertentes histórica e cultural e valorizar as características únicas da sociedade de Macau, captando, assim, maior atenção da sociedade de Macau e do exterior para a evolução histórica de Macau e a implementação, com sucesso, do princípio “Um País, Dois Sistemas”, reforçando a influência cultural de Macau no exterior. O sector académico de Macau tem sempre um grande senso de missão histórica, preocupando-se com a realidade social e seguindo o pragmatismo tradicional, no sentido de realçar, de per si, o seu papel intelectual na sociedade, encontrando o seu próprio caminho a nível académico nos estudos relacionados com as ciências sociais e humanas de Macau e, contribuindo através do seu esforço no conhecimento profundo da sociedade e da realidade de Macau, para o sucesso da transferência de soberania de Macau e a construção da Região Administrativa Especial de Macau, permitindo o regresso do poder discursivo sobre a Macaulogia pelas mãos dos seus autóctones, estimulando, directa e decisivamente, a criação e formação de uma comunidade política e um sistema de valores culturais da Região Administrativa Especial de Macau, promovendo o desenvolvimento saudável da sociedade e da política de Macau, após o seu retorno.

    Nos últimos dez anos, a organização da “Conferência Internacional de Macaulogia” foi uma outra iniciativa lançada pela Fundação Macau, relacionada com a promoção de estudos relacionados com as ciências sociais e humanas de Macau e da construção de um sistema de conhecimento autóctone. Nos anos 1980, tendo em consideração o papel único de Macau em intercâmbios e diálogos sobre as culturas da China e do Ocidente ao longo dos anos, e inspirado pelas disciplinas académicas predominantes de outros países, o sector académico de Macau apresentou o conceito académico “Macaulogia”. Após a transferência de soberania de Macau, o retorno à Pátria e a reforma profunda nos âmbitos social e económico, é de destacar o enorme sucesso relativo à implementação do princípio “Um País, Dois Sistemas” o qual é um bom exemplo no desenvolvimento do País numa nova era da civilização humana. Neste sentido, desde o ano 2010, a Fundação Macau tem lançado outras formas de cooperação com outras instituições de Macau e do exterior, como por exemplo a Universidade de Macau, para a realização periódica da “Conferência Internacional de Macaulogia”, tendo, nas anteriores edições sido abordados, sucessivamente, temas relacionados com a definição dos princípios científicos da Macaulogia; a internacionalização dos estudos sobre Macau; a investigação das fontes históricas; o estudo de casos práticos de Macaulogia; a construção de conhecimentos e o crescimento científico de Macaulogia; o arquivo de fontes históricas e a criação de disciplinas académicas sobre Macaulogia e a relação entre a Macaulogia e o desenvolvimento de Macau. Com os excelentes resultados obtidos nas anteriores edições da “Conferência Internacional de Macaulogia” e a dedicação e empenho dos caros colegas da área académica, “Macaulogia” já satisfaz as condições necessárias para se tornar uma vertente académica predominante a nível regional, possuindo força para se tornar uma área de estudos que tem por base científica fundamental o conhecimento dos seus autóctones.

    Nos últimos anos, o desenvolvimento de Macau e do País tem-se encontrado numa “zona de águas profundas” e daí o surgimento de uma série de questões académicas, como por exemplo, saber quais os elementos essenciais que constróem o “espírito de Macau”; quais as razões que tornam Macau diferente de outras regiões e países e qual será o caminho na construção do desenvolvimento futuro de Macau. Todas estas questões carecem de estudos profundos a realizar pelos académicos de Macau de forma a se encontrarem soluções. A construção de disciplinas académicas sobre Macaulogia chega agora ao seu momento crucial, enfrentando desafios mas também oportunidades incomparáveis, na prosperidade dos estudos académicos de Macau. Neste contexto, em 2018, a Fundação Macau promoveu a realização de três reuniões de trabalho da Equipa Especializada em Macaulogia do Conselho da Cultura e História. Os participantes nestas reuniões chegaram à conclusão unânime de que o objectivo principal da construção da Macaulogia nos últimos 30 anos era a transformação da Macaulogia numa vertente académica predominantemente regional semelhante à “Tunhuangologia” e “Huiologia”, concentrando as abordagens teóricas da Macaulogia na definição da fronteira deste conceito a nível académico, enquanto na prática, focando-se nos estudos sobre a história e a cultura. Aliás, com a evolução dos tempos, isto já deixou de satisfazer as perspectivas sociais quanto à construção das disciplinas académicas sobre Macaulogia, sendo indispensável pôr esta questão na agenda de debates profundos, com uma visão mais alargada, de modo a abrir novos caminhos para a construção da Macaulogia. Ora, sendo a Macaulogia uma nova área de estudos que, através da avaliação cruzada das disciplinas académicas e áreas de investigação das ciências sociais e humanas, combina as fontes históricas com a realidade social de Macau, tendo por base estudos sobre Macau e servindo de núcleo destes estudos. Sendo assim, consideramos que a visão para a construção de disciplinas académicas sobre Macaulogia deverá ser: construção de um sistema de conhecimento autóctonea, criação de um sistema narrativo macroscópico e explanativo que reflicta de forma abrangente as características únicas de Macau; na definição da autonomia de Macau a nível académico; no reforço e melhoria do poder discursivo académico de Macau e união dos investigadores de Macau das diferentes áreas de estudo.

        “Macaulogia” como um conceito académico está a aguardar a sua definição e argumentação científica; “Macaulogia” como uma área de estudos precisa ser construída e aperfeiçoada passo a passo. Quer como um conceito a definir quer como uma área de estudos a estabelecer, é indispensável erguer bem alto a bandeira da “Macaulogia” de forma a conduzir os académicos na direcção certa ao sucesso, trabalhando juntos para cumprir a gloriosa missão que lhes é confiada por esta nova era. A construção das disciplinas académicas sobre Macaulogia implica um conhecimento científico. A Macaulogia deverá possuir, simultaneamente, as características únicas de Macau, a tradição chinesa e a visão internacional, reflectindo o brilho, o amor e o calor humano. Só com isto é que a Macaulogia se poderá estabelecer verdadeiramente como um sistema de conhecimento autóctone, evocar memórias, iluminar a mente, e impulsionar um poder discursivo, liderar-nos em direcção certa ao sucesso; e só assim é que a Macaulogia poderá perdurar com vigor, contribuindo de forma incessante para o desenvolvimento de Macau, o progresso do País e de uma comunidade na construção de um destino comum da humanidade.

        Na reunião de trabalho para a construção da Macaulogia foi apresentada uma proposta para conciliar a forma de realização da “Conferência Internacional de Macaulogia”, de forma a que esta conferência possa conferir  maior importância aos resultados dos estudos realizados e à acumulação de experiências, permitindo que as conferências que se realizem futuramente possam naturalmente tornar-se conferências profícuas na construção de disciplinas académicas sobre Macaulogia. Assim, a partir desta edição, a “Conferência Internacional de Macaulogia” será subordinada ao tema “conferir apoio ao desenvolvimento das disciplinas académicas sobre Macaulogia” e realizar-se-á anualmente. Nesta edição, decidimos usar o tema “cultura” como ponto de partida para inspirar a reflexão de todos, porque a cultura própria de Macau possui simultaneamente a tradição chinesa e a visão internacional, sendo estes os elementos importantes da tradição humanista e espírito urbano de Macau. Esperamos sinceramente que todos os académicos aqui presentes possam expressar livremente e apresentar excelentes sugestões , contribuindo conjuntamente para o desenvolvimento futuro e contínuo da Macaulogia.

        O crescimento académico implica um processo de acumulação ininterrupta de conhecimentos. Os estudos contemporâneos no âmbito das ciências sociais e humanas de Macau tiveram início num período relativamente tardio, mas graças ao empenho e dedicação do sector académico e à contribuição e sacrifício dos seus  predecessores, conseguimos alcançar o sucesso de hoje. De forma a homenagear os académicos predecessores que contriburam, de forma brilhante, para o estudo e promoção das ciências sociais e humanas de Macau, criámos um novo prémio, o “Prémio Contribuição Excepcional para as Ciências Sociais e Humanas de Macau” no âmbito do “Prémio de Estudos de Ciências Sociais e Humanas de Macau”, de forma a dar-lhes o merecido reconhecimento pelo contributo e empenho. O Prof. Ching Cheung Fai e o Prof. Yang Yunzhong são os primeiros a receber este prémio.

O Prof. Ching Cheung Fai é licenciado em Literatura Chinesa pela Universidade de Pequim e mestre em Filosofia pela Universidade de Hong Kong. Nos anos de 1980 exerceu funções como docente da Universidade da Ásia Oriental de Macau, como chefe do Departamento de Língua e Literatura Chinesa da Universidade de Macau, como director e professor da Faculdade de Língua Chinesa. Os estudos sinológicos realizados pelo Prof. Ching Cheung Fai mereceram reconhecimento público dentro e fora de Macau. Desempenhou vários cargos públicos tais como, membro do Conselho de Cultura, membro da Comissão de Acompanhamento da Situação Linguística de Macau, e assessor do Gabinete para a Tradução Jurídica. Em 2011, foi-lhe concedida, pelo Governo da RAEM, a Medalha de Mérito Cultural. O Prof. Ching Cheung Fai foi um dos pioneiros que apelou para que a língua chinesa se tornasse língua oficial de Macau, dando uma atenção especial às questões sobre a aplicação da língua chinesa como língua oficial durante o período de transição e de transferência da soberania de Macau, tendo contribuído de forma fundamental no sistema discursivo moderno da comunicação social de Macau.

O Prof. Yang Yunzhong é doutorado em Economia pela Universidade de Jinan e em Ciências Jurídicas pela Universidade Renmin da China, dominando bem as línguas chinesa, portuguesa e inglesa. Ao longo dos anos, o Prof. Yang Yunzhong  realizou estudos nomeadamente sobre ciência política, ciências económicas e ciências jurídicas, sendo de destacar os seus estudos realizados sobre temas relacionados com o princípio “Um País, Dois Sistemas” e a Lei Básica, analisando exclusivamente as políticas e o desenvolvimento social de Macau. É um dos pioneiros nos estudos sobre o princípio “Um País, Dois Sistemas”. Exerceu várias funções públicas, por exemplo, foi membro da Comissão da Lei Básica da Região Administrativa Especial de Macau do Comité Permanente da Assembleia Popular Nacional; membro de Macau no Comité Nacional da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês; membro da Comissão Preparatória da Região Administrativa Especial de Macau da Assembleia Popular Nacional; membro da Comissão de Selecção do Primeiro Governo da Região Administrativa Especial de Macau da República Popular da China. Participou de forma efectiva no processo de retorno de Macau à Pátria. O Prof. Yang Yunzhong exerceu também funções de assessor principal do reitor da Universidade de Macau e coordenador substituto do Centro de Estudos de Macau. É fundador do Centro de Estudos “Um País, Dois Sistemas” do Instituto Politécnico de Macau. Em 2003, foi-lhe concedida pelo Governo da RAEM a Medalha de Mérito Profissional.

O Prof. Ching Cheung Fai tem-se empenhado na realização de estudos nomeadamente nas áreas das línguas vivas e literatura, possuindo preciosos conhecimentos qualificados e uma visão alargada. É linguista reconhecido que obteve resultados importantes nos seus estudos com enorme influência. É líder dos linguistas de Macau. O Prof. Yang Yunzhong possui conhecimentos vastos, preocupando-se sempre com o seu País possuindo um grande afecto por Macau. Tem contribuído, com os seus vastos resultados académicos na formação e desenvolvimento das ciências sociais e humanas de Macau.

Peço agora uma enorme salva de palmas para expressar de forma calorosa as nossas felicitações aos dois professores premiados, manifestando os nossos mais sinceros agradecimentos pelo seu sacrifício, dedicação e contribuição para os estudos de Macau.

Finalmente, permitam-me reiterar as felicitações aos premiados da 5.ª Edição do Prémio de Estudos de Ciências Sociais e Humanas de Macau, e transmitir novamente os meus mais sinceros agradecimentos aos participantes e membros do júri desta cerimónia e desejo que a 6.ª Conferência Internacional de Macaulogia seja coroada de grande êxito!

    Obrigado a todos!